| 
View
 

Seculo XVIII - Um Século de Revoluções

Page history last edited by maria joão gama 3 years, 7 months ago

Voltar

Geografia das transformações  e revoluções  no século XVIII

 

 


Ver Século das Revoluções (séc. XIX) num mapa maior 

 

Por Ricardo Carmo

 

A Independência dos EUA 

 

 

Clique em cima  para aumentar a imagem  

 

 

A Revolução Francesa

 

 

 

 

 

 

Por Ricardo e Pedro

 

 

A revolução Liberal Portuguesa

 

 

  

Por Ricardo e Pedro 

 

 

Clique em cima para aumentar a imagem 

 

As Inovações na Agricultura

 

 

 

 

Condições da Prioridade Inglesa no Arranque Industrial

 

No século XVIII Inglaterra reunia uma série de condições que lhes permitiam ser o país pioneiro da industrialização. Condições a nível da agricultura, pois tinha-se dado a revolução agrícola, e também a outros níveis.

 

A nível da agricultura:

·       Matérias-primas (como a lã)

·       Agricultura lucrativa (capital para investir)

·       Êxodo Rural (que deu muita mão-de-obra)

·       O aumento demográfico (que fez crescer muito o consumo)

 

Também a outros níveis:

·       O regime parlamentar (com liberdade económica)

·       O controlo do vasto Império (capitais e matérias-primas)

·       Matérias-primas (como o carvão e a hulha)

·       As condições geográficas (portos, rios e canais)

 


O arranque da revolução industrial inglesa irá fazer-se sentir principalmente nos sectores:

 

·       Têxtil, um dos primeiros a entrar na indústria

·       Metalúrgico, surgiu logo a seguir ao sector têxtil

·       Mineiro, a necessidade de fabricar máquinas industriais e agrícolas e o desenvolvimento dos caminhos-de-ferro, navios e outras infra-estruturas de comunicação estimulam a extracção mineira.

·       De transportes, utilizando o vapor.

 

 

 

Revolução Industrial

 

 

No século XVIII, em  Inglaterra as inovações agrícolas, fizeram com que a alimentação melhorasse bastante. A população aumentou significativamente e com a introdução de máquinas na agricultura, a mão-de-obra foi dispensada e muitas pessoas fugiram do campo para as cidades, porque não tinham emprego e deu-se um grande êxodo rural o que irá constituir mão de obra barata para a Industrialização.

 

Até aí as pessoas produziam os produtos manufacturados em pequenas oficinas. Como havia muitas matérias-primas que eram fundamentais à indústria como: o algodão, a madeira, o ferro, a hulha e a lã, haviam capitais para investir e muitas pessoas para trabalhar, vai alterar-se o modo como as pessoas trabalhavam e viviam. As condições geográficas  que faziam com que houvesse muitas vias de comunicação como: portos, rios, canais navegáveis e estradas, possibilitaram uma fácil circulação das matérias-primas e de outros produtos maquinofacturados.

 

Os inventores descobrem novas formas de usar a energia, e constroem novas máquinas movidas a água, vapor e carvão. Apareceram um conjunto de inventos como: a máquina a vapor de James Watt, o tear mecânico de Cartwright, a Fiandeira Jenny de Heargreaves e a locomotiva de Stephenson.

 

                                  James Watt inventou a máquina a vapor                   Stephenson inventou a locomotiva

 

                                                

                               Cartwight inventou o tear mecânico                   Heargreaves inventou a fiandeira Jenny


                                   

 

As máquinas substituíram o trabalho manual, porque faziam o mesmo trabalho, mas em menos tempo e mais barato. O trabalho que era realizado em pequenas oficinas passa a ser realizado em fábricas e a ser feito por operários, em vez de artesãos que tinham como principal função controlar o funcionamento das máquinas. O trabalho destes operários passa a ser rotineiro, dividido e organizado, as produções passam a ser em série, o que permitia fabricar produtos em

  
A mecanização começou na indústria têxtil inglesa, onde as máquinas substituíam o trabalho de muita gente. Com tudo isto, as roupas e os alimentos tornaram-se mais baratos, porque existiam em mais quantidades. O sector têxtil desenvolve-se e, isso leva a que sejam construídos novos meios de transporte, desenvolve-se assim o sector dos transportes, o sector mineiro e o sector metalúrgico (exemplos de transportes: a locomotiva e o barco a vapor). Como estes meios se desenvolveram, muitas pessoas e muitas mercadorias podiam passar a ser transportadas rapidamente para muitos sítios
.

 

              As pessoas que se mudavam para as cidades, trabalhavam nas fábricas e é assim que nasce uma nova classe: os operários. Os capitalistas ndustriais, que eram donos das fábricas, empregavam milhares de pessoas, e assim obtinham lucros, porque produziam e vendiam as suas mercadorias.

 

              A Revolução Industrial, deu emprego a muita gente, mas também trouxe muitos prejuízos.

 

- Com a vinda de muitas pessoas para as cidades, deu-se um crescimento descontrolado das cidades, originando subúrbios urbanos sem condições de higiene.

 

- As paisagens alteraram-se, devido às fábricas que deitavam resíduos poluindo desta forma o ambiente.

 

 

- O fumo que as fábricas produziam, fez com que as cidades ficassem poluídas.

 

- Como os capitalistas, queriam obter lucros, exploravam os trabalhadores, principalmente o trabalho feminino e o trabalho juvenil, porque eram mão-de-obra mais barata.

 

 

 

 

Estas mudanças na indústria vão espalhar-se por toda a Europa e mais tarde pela América.


Filipa, Sara,
Cláudia  e Gabriel

 

 

 

Outros Recursos 

 


Ver Um século de revoluções num mapa maior 

 

 

 

 

 

 

 

Edit this page (if you have permission) |

Google Docs -- Web word processing, presentations and spreadsheets.

 

 

 

Comments (0)

You don't have permission to comment on this page.